Army of the dead: o filme infinito do Snyder

#Filmes

Não estou com muito tempo para escrever então vou deixar de elaborar uma sinópse do filme para já ir direto nos comentários sobre o que achei do filme. Esse texto é destinado para pessoas que já assistiram o filme e estão em busca das impressões de terceiros, ou seja, tem spoilers.

Army of the dead

É incrível que nesse filme nem acontece muita coisa e mesmo assim ele tem uma duração de massantes 2 horas e 28 minutos. Mas vamos lá, vou tentar ser breve nas críticas para não retirar ainda mais do seu tempo após já ter visto esse filme.

A cena inicial é a mais divertida. A melhor parte do filme é o início com os soldados conversando sobre o que pode ter na caixa que transportam. Eu realmente estava gostando e criei um carisma pelos dois. Mas aí eles morrem e o filme começa a ficar uma bosta.

Acabei de falar do que gostei no filme. Agora vou entrar no que, pra mim, são os dois principais erros grotescos: 1) má elaboração dos arcos dos personagens e 2) duração excessiva com muito tempo de tela para eventos inúteis.

Problemas nos arcos dos personagens

Despediçaram efeitos visuais incríveis num filme que uma história horrível e arcos toscos.

Como se trata de um filme sobre a relação conflituosa de um pai com sua filha, é óbvio que a filha precisava ir junto na missão para criar um arco com o pai. Mas arranjaram um pretexto esdruxulo para conseguir justificar que a filha precisava ir junto na missão.

A amiga de Kate, Geeta, desaparece na cidade Zumbi apenas como um objeto, um artefato narrativo, um gatilho para que Kate se junte à missão. A tese de que o personagem de Geeta só existe para esse finalidade narrativa fica ainda mais forte quando descobrimos que ela morre no final.

Pior, nem sequer sabemos se Geeta realmente morre. Isto porque depois que o helicoptero cai Geeta é completamente esquecida. Kate praticamente estraga toda a missão e arrisca a propria vida pra salvar Geeta e depois ignora a coitada também estava no helicóptero que caiu. O filme acaba sem nem sequer mostrar se Geeta estava de fato morta, o cadáver da coitada é esquecido no meio dos escombros do helicóptero. Acho que nem os responsáveis pela montagem do filme lembraram que Geeta existia.

Outra cena horrível é a do diálogo de Scott com sua filha Kate. Não me lembro de um diálogo tão ruim e cringe quanto. Quando Scott descobre que Kate na verdade nunca o culpou pela morte da mãe mas que na verdade desensolveu um ranço do pai simplesmente pelo fato dele ter sumido sem dar sinais de vida. O momento: “então quer dizer que você me odeia porque eu sumi e não porque tive que matar a sua mãe?” foi bem cara de cu.

Outro aspécto não abordado ao longo do filme foi a divisão de dinheiro entre os mercenários. Logo no início, no recrutamento, o filme deixa bem claro como cada um vai receber uma quantia diferente pelo serviço. E existe uma diferença gritante entre os valores da recompensa para cada um deles. O que a gente espera sendo apresentado a isso? Que ao longo do filme eles vão descobrir essa diferença e vai haver algum tipo de conflito. Mas não, não deu em nada mesmo não. Não causou nem sequer um leve estranhamento entre eles.

Duração excessiva com muito tempo de tela para eventos inúteis

Esse é um filme de ação que consegue ser entediante na maior parte do tempo. É demasiadamente longo e ainda demora horrores para a ação realmente começar. O tempo que perdem montando a equipe é extremamente chato e mal aproveitado.

E pior que o filme demora um bocado pra introduzir todo o time antes de começar a missão mas mesmo assim é uma introdução extremamente superficial. A gente não sabe muita coisa sobre ninguém nesse filme.

Maria é uma personagem que do nada, sem o final ter dado nenhum sinal previamente, se declara por Scott numa cena com clima abaixo de zero e logo em seguida morre de uma forma ridícula!!!. Que desperdício de interação.

Acho que as relações e os conflitos entre os personagens foram muito mal construídas e mal aproveitados. E nem acho que foi um problema de atuação, foi mais de roteiro mesmo. O filme perde minutos e mais minutos com cenas inúteis e não dedica nenhum tempo para construir diálogos minimamente interessantes.

Por exemplo, o filme perde tempo demais mostrando a “organização social dos zumbis” que aparentemente possuem alguma forma de inteligência. O filme até fica mostrando cenas de dois zumbis aparentemente namorados (?) sendo que a zumbi está grávida do zumbi. Inclusive existe um feto zumbi!!! Mas qual o próposito narrativo desse feto umbi??? Nenhum. Ele serve apenas pra tomar tempo de tela.

P.S: a cena mais pro final do helicoptero que abandonou eles no telhado mas depois volta pra salvá-los é 100% cópia de Aliens. Aliás, o final do filme é totalmente copiado de Aliens. Eles conseguem fugir mas o bicho do mal gruda na nave e trava uma luta final.

Veredito

Nota: ★½ (1,5/5)

Enfim, essas estrelas que estou dando são para os 8 minutos iniciais dos dois soldados, para os efeitos especiais e para o personagem de Scott que é muito maneiro (Bautista tem uma vibe muito soldado parrudo gente boa). Aguentar 2 horas e 38 min dessa história insossa não foi lá uma experiência muito prazerosa.

É um filme horrível com efeitos visuais incríveis. Eu praticamente só não vou dar uma nota mais baixa porque tiveram várias cenas maneiras de crânios explodindo de uma forma tão convincente que nunca vi num filme antes.

* * *

Críticas 🔎,
sugestões 📜,
observações 💡?

Como o site não possui sessão de comentários você pode mandar um email para filipe@mosquildo.com.br 📬 me dizendo o que achou do artigo que ficarei bastante feliz em responder:

Olá! Eu sou Filipe Mosca. Sou acadêmico de medicina e tenho um profundo interesse em ler e escrever sobre medicina em geral, desde a ciência até temas filosóficos e humanitários.

Inscreva-se Twitter