O Brasil idolatrou um estuprador?

#Off-Topic
image representing a theme in this article

Como fiz uma postagem praticamente idolatrando a participação do ex-BBB Felipe Prior no programa, acredito que tenho a obrigação de me posicionar sobre a matéria publicada pela revista Marie Claire.

Como todos já devem saber, neste dia 3 de Abril a revista em questão divulgou três acusações de estupro e tentativa de estupro contra Prior. É claro que a matéria repercutiu muito pois a internet ainda estava numa relação de amor e ódio com o ex-participante.

Li a matéria com muita tristeza. Os relatos são bastante pesados e bem detalhados.

É estuprador ou não?

Primeiramente eu já queria abordar rapidamente esse questionamento. A resposta é muito simples: não sabemos. Ele ainda não foi julgado e a justiça ainda não foi feita. Simples assim.

Felipe Prior dava sinais de ser um estuprador?

Esse é o ponto chave que eu queria escrever a respeito. Quando a notícia crime foi publicada, surgiram muitas pessoas para dizer “eu avisei”. Avisou o que? Que ele era um estuprador?

Eu acho o seguinte: esse discurso de “tava na cara que fulano era um estuprador” só serve pra colocar a culpa na vitima que supostamente não percebeu os sinais. Estuprador não tem rosto e nem jeito específico ou estereótipo. Quem torcia pro Prior não tinha como adivinhar isso, muito menos as vítimas.

Por mais que o discurso “todo homem é um potencial estuprador” seja muito pesado e reducionista, eu tendo muito a concordar com ele. Por mais gentil, sincero, educado que um homem possa ser, isso não o impede de se tornar um estuprador.

Então repetindo o que eu disse: cobrar e culpar os torcedores de Prior por ter “idolatrado um possível estuprador” é uma argumentação perigosa pois joga o mesmo peso de culpa nas vitimas.

Então, respondendo à pergunta do título: não, o Brasil não idolatrou um estuprador. O Brasil idolatrou, por um breve momento, um jogador de um reality-show que em seguida veio a ser acusado de estupro.

Uma visão jurídica

Recentemente, uma advogada publicou uma postagem em seu blog comentando algumas inconsistências entre a matéria publicada pela revista e os autos do processo que teve acesso. Não quero comentar sobre isso pois foge completamente ao meu campo de conhecimento e nem é esse meu objetivo aqui. Contudo, vou deixar o link para o artigo dela, caso alguém queira ler.

Eu só desejo que o acontecido seja esclarecido e a justiça seja feita.

Referências

  1. Duas acusações de estupro e uma de tentativa de estupro contra Felipe Prior. Revista Marie Clarie. Acessado em 08 de Abril de 2020.
  2. Caso Prior: uma análise jurídica. Halyne Marques. Acessado em 08 de Abril de 2020.

Sobre o autor

Olá! Eu sou Filipe Mosca. Sou acadêmico de medicina e tenho um profundo interesse em ler e escrever sobre medicina em geral, desde a ciência até temas filosóficos e humanitários.

Inscreva-se Twitter